O mundo que me fez desperto

O tempo esculpiu o feto,
O afeto deu-me o nome e o riso,
O vento que vence o concreto,
Sem sucesso, me deixou o piso,
Ascendendo, perfurando o teto,
Vencendo o que for preciso,
Na crença de ser mais correto
Buscando o meu paraíso.

Seguindo no caminho certo,
Incerto se estou sozinho,
Selvagem e voraz decerto,
Às lágrimas que fui mesquinho.
Confesso não ter descoberto,
Me entrego ao teu desalinho.
Razão da qual não me apego,
Julgado, encontrei o Meirinho,
O destino, que me fez completo,
Deixou-me ser passarinho.

Milton Lavor

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: